quarta-feira, agosto 27, 2008

Açores

Canal entre o Faial e o Pico
Pico visto do Faial


Vista da Cidade da Horta



Hortênsias


Vulcão dos Capelinhos





Paisagem




"Império" do Espírito Santo







Parque Terra Nostra






Caldeiras das Furnas








Festa Popular










Lagoa Verde e Azul









Estufa de Ananás










Quando os descobridores lá chegaram,encontraram uma ave com bonito porte,o açor,que hoje é símbolo da bandeira dos Açores.Arquipélago deslumbrante, como os postais das ilhas pretendem demonstrar.Dão,contudo,uma ideia pálida da realidade,como se compreende,porque os Açores são um postal permanente que nunca se esgota nem repete.Isto foi o que vi numa visita recente a S.Miguel,Terceira,Faial e Pico.Mas tudo fica mais belo se a visita fôr guiada e bem explicada,como aconteceu no nosso caso.É que além das paisagens tem as origens e os fenómenos que foram acontecendo e assim moldando o seu povo;tem muita história;tem muitos escritores e poetas;tem mistério.A simbiose de tudo isto dá a insularidade que é uma forma diferente de estar no mundo mas com uma carga emocional e espiritual muito serena.
A origem e os fenómenos que vão acontecendo;a luta permanente pelo equilíbrio económico com a procura de novas soluções quando algum factor se altera no seu sistema de exploração,como as pragas agrícolas,etc;as catástrofes naturais;os mistérios,como eles chamam quando,por exemplo,se sentem sitiados pela lava julgando ser um castigo divino sem saberem porquê.Não havia ajuda humana possível e apelavam ao Espírito Santo.E passada a tormenta erigiam marcos a que agora chamavam"Mistérios"e aos quais davam os nomes dos lugares onde aconteciam;os "Impérios"como consequência do apego ao Espírito Santo pelos motivos atrás citados que construiam (tem um exemplar numa foto acima )para aí fazerem os seus festejos anuais.
Bom,isto parece estar a ser uma lição sobre as ilhas e não quero ser fastidioso mas sòmente falar duma terra linda e dum povo bonito também por dentro num mundo que vale a pena visitar.
Publico algumas fotos que só servem -vista a sua baixa qualidade -para ilustrar um pouco esta apresentação.
Tudo o que disser mais é demais e isso fica para os eruditos.
(...) Hoje
Sei apenas gostar
Duma nesga de terra
Debruada de mar.
Miguel Torga-

3 comentários:

Lu disse...

Eis o meu simples sentir diante deste post: se as imagens marcam pela beleza e serenidade, as palavras não lhe ficam atràs, belo pedaço de prosa carregado de muito sentir...podia ter continuado, estava embalada, é bom ,muito bom mesmo viajar e ver, sentir o maravilhoso da natureza, das gentes, da história, é alegria das alegrias, é o melhor de todos os bens materiais, é levantar as mãos ao céu quando se pode fazer isso e lamentar que nem todos o possam fazer ....

Carla Silva e Cunha disse...

olá Adorei tudo gostava que fosse a arte-e-ponto.blogspot.com

Isaac de Oliveira (BLAU JONES) disse...

Parabéns p/ blog.
as fotos são deslumbrantes!